No link abaixo você poderá acessar uma parte do catálogo Real Gravuras:

PRODUTOS DISPONÍVEIS NO MERCADO LIVRE

Brasão Draconiano | Print |

Isqueiro Zippo Draconiano Dragão Tatuagem Ocidental

 

 

adriano camargo monteiro brasao draconiano

dragao draconiano brasao adriano monteiro

 

Em heráldica, um brasão é um símbolo composto emblemático cuja finalidade é identificar a linhagem hereditária de indivíduos dentro de uma família nobre ou real, ou clã, além de representar outros grupos, ordens, corporações, instituições tradicionais e seculares, estados e nações. Na Europa da Idade Média, entretanto, os brasões também serviam para identificar os cavaleiros e guerreiros nas batalhas em campo.

A arte e a ciência da heráldica são relativamente complexas, envolvendo técnicas e conhecimentos específicos para a criação e confecção de brasões. Contudo, vamos tentar enfatizar aqui o aspecto oculto draconiano de um brasão, já que dragões arquetípicos e simbólicos são alguns dos elementos presentes na heráldica. A palavra “heráldica” vem do alemão “herald” e significa “arauto”, “anunciador”, e, no sentido draconiano, significa a Palavra, o Logos, o próprio Dragão como iniciador do indivíduo que anuncia, que transmite o conhecimento antes secreto. Um brasão draconiano, identificando um indivíduo nobre por seu espírito e de linhagem evolutiva psicomental e espiritual através das encarnações, é composto por certos elementos alquímicos, ocultos e simbológicos. Tal brasão expressa emblematicamente a linhagem dos herdeiros espirituais da sabedoria arcana, por mérito e esforço individuais, e pouco tem a ver com os agrupamentos meramente mundanos e convencionais, tais c como famílias tradicionais, instituições religiosas seculares ou realezas imperiais, apesar de o brasão estar baseado nos princípios da heráldica manifestada no plano mundano.

"O brasão é consagrado ao próprio indivíduo autoconsciente e ao seu Real Ser interior, o Daemon, o Eu Superior, representado na figura do Dragão de Sabedoria."

Sendo o dragão um símbolo completo da totalidade humana superior(com suas asas, chamas, escamas, patas e tesouros), estando à esquerda e à direita do escudo do brasão, ele identifica os dois aspectos da existência: trevas e luz, subconsciência e supraconsciência, noite e dia, morte e vida, feminino e masculino, etc. Ainda, o dragão representa a visão superior, poder, sabedoria e o todo humano. De fato, o dragão, a besta completa e perfeita, tipifica uma “esfinge” draconiana. Sobre esse ponto, é importante salientar que esfinges não são exclusividades egípcias. Assim, a esfinge draconiana é como segue: mente, intelecto, ideias, razão (as asas do dragão que voa através do Ar); espírito, amor, paixão, desejo, instintos (as chamas do dragão que cospe Fogo); alma, emoções, imaginação criativa (as escamas do dragão que nada sob a Água); corpo físico, prazer e dor (as patas do dragão que caminha sobre a Terra); Eu Superior, Daemon, Logos Individual (os tesouros que o dragão guarda em profundas e escuras cavernas, tais como o ouro e a prata, os metais do brasão). O sangue alquímico do dragão pode se interpretado como o “veneno” que pode se converter em néctar, ou seja, é o conhecimento secreto e “perigoso” do subconsciente que vem à tona, à consciência, iluminando o iniciado.

Mas além de dragões, o brasão possui outros elementos devidamente posicionados. E com o simbolismo draconiano fornecido acima, um brasão draconiano simples, sem o excesso de elementos heráldicos, pode ser descrito e adaptado ao contexto, porém buscando-se seguir algumas regras básicas da heráldica. As cores presentes no brasão (os esmaltes e metais) estão relacionadas ao processo alquímico da Via Draconiana: nigredo(preto), albedo (prata), rubedo(vermelho). O escudo do brasão pode ser de formato suíço e esmalte preto – o formato do escudo estiliza os dentes, as garras, as asas, os chifres e a cauda do dragão. O esmalte preto (nigredo), também chamado de Saturno e Diamante, simboliza o conhecimento, as ciências, as letras e a prudência, além de representar as trevas nas quais se oculta a sabedoria que deve ser encontrada. O preto também expressa a força da Matéria, indica severidade, respeito e estabilidade psicomental e material.rpg dragao dragon draconiano Na superfície do escudo, sem partições, como figuras heráldicas quimérico-naturais, dois (a união dos opostos) dragões rompantes estilizados, um de frente para o outro, de metal heráldico ouro (citrinitas) à direita e à esquerda, sobre o esmalte preto, sem tocar as bordas do escudo; no centro do escudo, entre os dragões, uma cruz equilátera de metal ouro também. Os dragões rompantes representam altivez, orgulho, coragem, valor, energia, instinto, impulso para avançar e progredir. A cruz equilátera representa os quatro elementos constituintes do ser humano (já abordados acima) e o ciclo do tempo, sendo o centro o próprio Eu Superior; essa cruz também simboliza a união dos opostos (trave vertical, masculino; trave horizontal, feminino). Sobre o escudo, em vez do tradicional elmo presente em muitos brasões, um crânio humano de metal heráldico prata (albedo) com uma coroa de três bicos potiagudos de prata também, sem o virol (a fita de tecido listrada, ou duas cordas entrelaçadas nas cores do esmalte e do metal). Sobre a fronte do crânio três gotas vermelhas (rubedo) formando um triângulo invertido. O crânio no brasão representa a própria humanidade em sua evolução, despojada de suas futilidades mundanas, despojada de meros títulos, status e posições sociais que, na maioria ou em todos os casos, não refletem de fato a essência psicomental e espiritual do verdadeiro Ser, do verdadeiro e Real Eu. O crânio indica e nos a lembrar da transitoriedade das coisas no mundo fenomenal e da transição da existência por meio da vida e morte doadas pelo aspecto feminino (prata) da Criação. Simboliza também a essência da vida que não perece, o próprio Eu Superior, o Deus interior, individual e imortal de cada um. A coroa indica que todo indivíduo autoconsciente e em processo evolutivo deliberado é um Rei de si mesmo, dono de seu próprio Real Ser autoconsciente, um Ser digno e nobre por seu valor psicomen tal e espiritual, por seu conhecimento e sabedoria internalizada. Os três bicos da coroa são as três forças primordiais do universo sem as quais nada pode ser criado (as forças positiva, negativa e neutra), assim como outras tríades importantes: processo de inspiração, retenção e expiração; dimensão do tempo (passado, presente e futuro); etc. As gotas em vermelho simbolizam o sangue e a herança genético-espiritual do indivíduo em sua senda draconiana, assim como a matéria-prima da existência carnal e da própria vida doada pelo feminino. Sob o escudo, um listel em vermelho (rubedo) com um pentagrama invertido no centro e com um lema, ou divisa, pertinente. O pentagrama invertido sugere a cabeça do Dragão de Sabedoria (conhecido como Poimandres ou Pimandro no Hermetismo, entre muitos outros nomes) e a cabeça de Baphomet, o caprino híbrido, indicando sua associação com a natureza, com os cultos de fertilidade, crescimento e riqueza, pois Baphomet (“batismo de sabedoria”) é uma outra representação do deus grego Pan.

dragao brasil rpg isqueiro dragon

 

PAN ("TUDO")

Pan é o deus dos bosques e da natureza em geral, bem como a representação de tudo o que é criado pela Mãe Natureza (Vênus, Afrodite, Sophia=Ophis). O pentagrama invertido está associado à deusa Vênus (e ao planeta), à fertilidade, ao amor e ao sexo, além de representar de forma bastante estilizada os órgãos sexuais femininos. O pentagrama invertido traçado no ar significa que forças draco-venusianas estão sendo invocadas para a Terra. Nos trabalhos de Magia Sexual o pentagrama invertido é particularmente usado para invocar a Serpente do Sexo (a energia da criação) e o Dragão de Sabedoria.

SOBRE O AUTOR

"Adriano Camargo Monteiro é escritor de Filosofia Oculta, Draconismo e de simbologia e mitologia comparadas. É membro de diversas Ordens (Dragon Rouge, Maçonaria, entre outras), possui diversos livros publicados pela Madras Editora e escreve também para a Revista Universo Maçônico, para o site Morte Súbita Inc., para blog Teoria da Conspiração. O Escritor também é artista colaborador na Zupi, famosa revista trilíngue de arte e design."

 

Livros Adriano Camargo Monteiro

Saiba mais no site:

http://www.geocities.ws/adrianocmonteiro


 

 

APRESENTAÇÃO

Real Gravuras é um projeto artesanal que preza o desenvolvimento das percepções.

Os trabalhos aqui dispostos são ricos em simbologia e o objetivo maior é oferecer ao cativo uma obra que não expresse somente a beleza mas transmita também, ao olhar, uma parcela de nossa rica história desde a origem do ser humano.

contato@realgravuras.com.br